id Antigo testamento: ideias rápidas sobre o Antigo Testamento. História da religião católica antes de Jesus Cristo.
O ANTIGO TESTAMENTO:
a religião católica antes de Cristo
  • A. Os começos.
  • B. Depois de Moisés.
Antes de Cristo, a história da religião católica coincide com a do povo judeu e encontra-se nos livros da Bíblia que formam o antigo testamento.

A. OS COMEÇOS

1. Antes do mundo? Antes do mundo só existia Deus. Um Deus único em três pessoas Pai, Filho e Espírito Santo que viviam eternamente felizes. E não havia mais nada, nem estrelas, nem planetas, nem animais, nem anjos. Não havia mesmo mais nada. E o que faziam as três pessoas divinas? Podemos dizer que a sua actividade era conhecer-se e amar-se. Trocavam ideias, afectos e conversavam.

2. Como começou o mundo? No princípio criou Deus o céu e a terra. A Bíblia narra a criação em seis períodos a que chama dias (é um modo explicativo que nada se opõe ao big bang). No sétimo dia, Deus deixou de criar e mais tarde o Senhor destinou esse dia para que fosse santificado e dedicado a Deus.

3. O que criou Deus primeiro? Provavelmente Deus criou primeiro os anjos que são seres espirituais de inteligência a vontade muito perfeitas. Com o seu entendimento poderoso conhecem a verdade com agilidade e precisão. Com a sua forte vontade, tomam decisões e comprem-nas sem falhar.

4. A prova dos anjos.- Na Sua bondade, Deus não se conformou com os dons que lhes outorgou. Quis que os anjos participassem da divindade e encontrassem lugar na família divina. Assim, o Senhor decidiu que este grande tesouro não seria obrigatório mas seria apenas para os que o ganhassem, em parte, com os seus méritos superando uma prova. Então:

  • Muitos destes espíritos permaneceram fiéis a Deus e foram premiados com a eterna felicidade da glória. São os Anjos.
  • Mas muitos outros repudiaram Deus. Desprezaram o amor divino e preferiram a sua própria soberba, o orgulho de serem independentes do Senhor, como se não fossem criaturas. Em consequência ficaram afastados de Deus e assim surgiu o inferno. São os demónios.
5. E os homens? Deus criou o homem à sua imagem e semelhança infundindo-lhe uma alma imortal. O primeiro homem chamou-se Adão e Deus colocou-o num lugar delicioso: o paraíso terreno. De imediato criou a mulher, Eva. Além disso, o Senhor outorgou-lhes uma participação da vida divina - a graça -. O homem não sofria, nem tinha doenças, nem morria. Gozava de harmonia consigo mesmo, com o criador, entre o homem e a mulher e com a Criação.

6. A prova do homem.- Tal como no caso dos anjos, o Senhor também quis que o homem aceitasse livremente o amor divino e que ganhasse o céu. O demónio, invejoso da sua felicidade, tentou-o e o homem desconfiou do seu Criador, quis ser como Deus, independente Dele e desobedeceu ao Senhor. Assim, Adão e Eva, perderam, para si e para a sua descendência, a santidade inicial - a graça - e outros dons. A natureza humana, sem estar corrompida, ficou ferida nas suas forças, submetida à ignorância, ao sofrimento e à morte, inclinada para o mal. A esta situação em que todos nascemos se chama pecado original.

7. Promessa de um Salvador.- Adão e Eva ficaram afastados de Deus e foram expulsos do paraíso, mas Deus não desamparou os homens, antes lhes prometeu um Salvador (o Messias), que abriria de novo as portas do céu. Prontamente, o Senhor repetiu esta promessa aos Patriarcas e Profetas.

8. Os Patriarcas? Foram personagens que, à frente da sua família, se destacaram pela sua fidelidade a Deus, transmitindo a Sua promessa e cumprindo a vontade divina. Destacaram-se Abraão e o seu neto Jacob, chamado depois Israel. Os seus descendentes serão o povo de Jacob ou povo de Israel. Deus prometeu a Abraão que o tornaria cabeça de um grande povo e que da sua descendência nasceria o Messias.

9. Moisés.- Jacob e a sua família mudaram-se para o Egipto, onde se multiplicaram formando um grande povo. Entre os seus descendentes está Moisés, que escolhido pelo Senhor tirou Israel do Egipto e o levou para a terra de Canaã prometida por Deus a Abraão. O Senhor guiou o seu povo pelo deserto com vários milagres, como a passagem pelo mar vermelho e o maná. Apresentou-se a Moisés no monte Sinai e entregou-lhe os dez mandamentos, estabelecendo uma aliança com os israelitas. Eles serão o Seu povo e Ele será o seu Deus. Com Moisés, os israelitas tomam a consciência de povo.

B. DEPOIS DE MOISÉS

1. Juízes e Reis.- O povo de Israel nem sempre foi fiel aos Senhor. Sucedia então que os seus inimigos o dominavam, até que, arrependidos, recorriam de novo a Deus que os ajudava por meio de bons dirigentes chamados juízes, como Samuel. Depois foram governados por réis, primeiro Saúl, seguido por David e Salomão. David foi o predilecto do Senhor.

2. Divisão e cativeiro.- Depois, o reino dividiu-se em dois: Israel (dez tribos) e Judá (duas tribos). Houve altos e baixos na fidelidade a Deus, mas rapidamente se estendeu o mau comportamento e a idolatria. Então o Senhor permitiu que fossem derrotados e deportados.

3. Profetas.- Nesses anos, o Senhor escolhia de vez em quando alguns profetas e enviava-os para que falassem em Seu nome ao povo e lhes recordassem os seus deveres. Por exemplo, Elias e Eliseu, os quais fizeram muitos milagres. Entre as profecias destacam-se as que aludem ao futuro Messias, como algumas de Isaías e os salmos de David.

4. Depois do desterro.- Voltaram a Jerusalém, reconstruíram o templo e procuraram ser mais fiéis a Deus, esperando a chegada do Salvador. Alguns reis estrangeiros quiseram impor a idolatria e houve alguns episódios de fidelidade ao Senhor. Os irmãos Macabeus conseguiram defender o povo dessas ingerências.

5. Império Romano.- Depois chegaram os romanos. Tomaram controlo sobre a zona, mas respeitavam os costumes religiosos. E chegou o momento de Jesus Cristo nascer em Belém. (Continua em: vida de Cristo).

id