id A castidade: ideias rápidas sobre a castidade. O que é? Como se guarda a castidade? A castidade no noivado. Benefícios da castidade.
A CASTIDADE
  • A. O que é a castidade?
  • B. Benefícios da castidade.
  • C. É possível viver a castidade? Como?
A. O QUE É A CASTIDADE?

1. O que é a castidade? A virtude da pureza ou castidade é o hábito de usar o sexo correctamente. A castidade modera os apetites sexuais para que sejam racionais. É uma virtude importante que capacita para amar. Se se deteriora, surgem graves consequências para a dignidade humana e para a família. A castidade pode viver-se em três situações: individualmente, no namoro e no casamento.

2. Como se exercita a castidade individualmente? Individualmente, a castidade afasta qualquer prazer sexual, defendendo e educando o próprio coração. A castidade é importante precisamente por isto: porque protege o coração do egoísmo e o capacita par o amor autêntico.

3. Como se exercita a castidade no namoro? A castidade no namoro afasta qualquer prazer sexual individual ou partilhado. Ajuda a manifestar de forma limpa o amor, aprendendo a amar sem egoísmos.

4. Como se exercita a virtude da castidade no casamento? A virtude da pureza ou castidade no casamento inclui: o uso correcto do sexo com o próprio cônjuge (filhos); e recusa de outros prazeres sexuais.

B.BENEFÍCIOS DA CASTIDADE.

1. A castidade melhora a dignidade do homem.- A partir de dois pontos de vista:

  • Um ser humano não é um objecto nem uma ferramenta. Um homem não se usa, não se utiliza. Por isto, uma pessoa utilizada sente-se maltratada e, realmente, sofreu uma agressão à sua dignidade. Neste sentido, a castidade evita que o ser humano seja usado para obter prazeres.
  • A castidade ajuda a manter a categoria correspondente ao corpo e ao sexo. Para explicar isto, não é fácil encontrar imagens actuais. Imaginemos um monarca dos séculos anteriores. Imaginemos a sua coroa real usada nos grandes momentos. E pensemos que alguém usava essa coroa para apanhar lixo. Seria um delito contra a dignidade do rei. O uso do corpo humano só para obter prazeres diminui a categoria do sexo, que vai unida ao grande dom da paternidade.
2. A castidade melhora o respeito para consigo mesmo e os outros.- É consequência do anterior porque se respeita quem se considera digno. Se se aprecia a dignidade do corpo humano na sexualidade, é mais fácil tratar correctamente o homem noutros campos. E ao contrário: se o corpo é mal utilizado para atender gostos sexuais, será fácil fazer-lhe mal para ter caprichos de qualquer tipo. Assim, a degeneração sexual causa danos em muitos aspectos.

3. ¿Exemplos?

  • A violência doméstica é violência e não impureza, mas não andam longe uma da outra, pois em ambos os casos se maltrata um corpo humano. Se o corpo humano se considera um objecto que utilizo para ter prazeres, não há maior dificuldade em descarregar a minha ira sobre esse objecto corporal quando me contrariar: dá-me gosto, utilizo-o; desgosta-me, espanco-o.
  • O desenfreamento sexual também está ligado com a dependência das drogas e o alcoolismo porque, também nestes casos, se maltrata o corpo humano. Não quer dizer-se que estejam sempre unidas, mas é mais fácil cair num vício se se deixou vencer em algo parecido.
4. A castidade liberta de uma escravidão.- No sexo há uma inclinação correcta, que convida a formar uma família e a alcançar descendência. Esta disposição a ter filhos, cada marido com a sua mulher, é boa, natural. E os prazeres que acompanham são também bons e desejáveis. Por seu lado, no sexo há uma tendência errada que impulsiona a ter prazeres sexuais de qualquer modo, com umas e outras pessoas. Isto já não é natural e deve dominar-se. Se se cede nisto, a inclinação aumenta pois se adquirem gostos e se forma uma obsessão, uma escravidão ao sexo que pode chamar-se sexodependência. A virtude da castidade liberta destas cadeias ajudando o homem a ser dono dos seus actos nesta matéria.

5. A castidade protege e aumenta a capacidade de amar.- O impulso sexual descontrolado conduz ao egoísmo de procurar prazeres de qualquer maneira. Esta escravidão das próprias apetências dificulta a capacidade de amar, pois o amor convida a procurar o bem para os outros ainda que à custa dos seus próprios gostos. Amor e egoísmo não se dão bem; se se fomenta um, diminui-se outro. Se alguém se liberta do egoísmo e procura o bem dos outros, beneficia-os assim como a si mesmo pois o seu coração se engrandece. Assim, a castidade aumenta a capacidade de amar pela vitória sobre o egoísmo. Esta virtude é requisito indispensável que purifica o coração e o capacita para o autêntico carinho.

C. A CASTIDADE É POSSÍVEL? COMO?

1. É possível viver a castidade? Em alguns lugares o ambiente dificulta muito a vivência da castidade. Mas sempre é possível praticá-la com a ajuda de vários recursos que reunimos em três grupos: o próprio esforço, com a ajuda de Deus e dos homens. Estes meios, podem exercitar-se no momento da batalha ou previamente para ganhar algum treino.

2. O próprio esforço na castidade aplica-se em vários campos:

  • Decisão de lutar.- Repetir frequentemente o desejo firme de manter o coração limpo. Para fortalecer esta decisão, pode ajudar propor etapas curtas; por exemplo, até à próxima quarta-feira, etc.
  • Fugir de das ocasiões.- Na medida em que sejam fonte de pecados, deverá reduzir ou suprir praias, discotecas, televisão, internet… Privar-se de algumas coisas apenas importa aos que defendem o seu amor.
  • Guardar a vista.- A vista é um sentido muito ligado aos desejos e o seu domínio protege e educa o coração. Pode-se treinar afastando o olhar de imagens normais que a curiosidade deseja conhecer.
  • Servir os outros, para que o coração aprenda a amar.
  • Mortificar-se.- O costume de dominar os gostos do próprio corpo serve de treino para controla-lo em temas sexuais.

3. Exemplos de mortificação? Alguns sacrifícios que ajudam a dominar o próprio corpo:

  • Comer com moderação, controlando o gosto e o apetite.
  • Sentar-se em posições menos cómodas, dominando o sentido do tacto, que precisamente está muito relacionado com os prazeres sexuais.
  • Tomar banho rapidamente, ainda que, ao tacto, apeteça continuar.
4. Ajuda de Deus na castidade? A ajuda de Deus na castidade cosnegue-se mediante a oração, os sacramentos, a devoção a Maria Santíssima, etc. Convém pedir o auxílio divino com perseverança e humildade. O próprio facto de rezar facto de rezar ajuda, pois eleva o coração em relação as coisas terrenas.

5. Porque é importante a humildade para a castidade? Uma pessoa orgulhosa mantém-se altiva perante Deus, enquanto que a humilde situa o homem no seu verdadeiro lugar face ao criador. Como consequência:

  • A humildade é necessária para avançar em qualquer virtude pois "Deus resiste aos soberbos e dá a Sua graça aos humildes".
  • o A influência benéfica de Deus abarca a alma e o corpo. Quando a Alma se revolta contra Deus, quebra-se o equilíbrio e o corpo revolta-se contra a alma. Se a alma se coloca no seu lugar diante do Senhor, o corpo também respeitará a voz da vontade.
6. Ajuda de outras pessoas na castidade? Para crescer na vida cristã é recomendável uma direcção espiritual, onde se recebem conselho e ânimo que facilitam o esforço. Esta ajuda será eficaz na medida em que haja uma sinceridade prévia. No caso da castidade, o ânimo sincero é algo que custa mas presta um duplo benefício, pois além receber apoios proporciona melhoras na humildade. (O orgulho dificulta o reconhecimento dos defeitos; reconhecendo-os, exercita-se a humildade).

7. Ajuda mútua no namoro? Convém que os namorados estejam de acordo em viver a castidade, ajudando-se um ao outro a defender o seu coração, a sua dignidade e o seu amor. Algo semelhante se pode dizer dos casados; convém que se animem a ter filhos, a viver vem o casamento, a serem fiéis.

id