id Os evangelhos: ideias rápidas sobre os evangelhos. Razões que avalizam os evangelhos como históricos. Conservação dos evangelhos. Manuscritos.
OS EVANGELHOS
  • A. Conservação do texto original.
  • B. Os evangelhos, textos históricos.
A. CONSERVAÇÃO DOS EVANGELHOS

1. O texto actual dos evangelhos coincide com o original? Podemos estar seguros de que o texto actual coincide com o original pelos abundantes e antigos manuscritos que se conservam. Torna-se ainda mais claro em comparação com outros textos da antiguidade.

2. Exemplos de textos da antiguidade? Vejamos quatro conhecidos autores anteriores a Jesus Cristo:

  • Homero (Ilíada, Odisseia). - O manuscrito mais antigo de que dispomos é do século XI.
  • Platão. - As suas obras que se conservam datam do século IX.
  • Júlio César. - Dispomos de 10 manuscritos do século X.
  • Horácio. - Temos 250 manuscritos. O mais antigo data do século VIII.
3. Que manuscritos conservamos dos evangelhos? Em 1968 fez-se uma lista com 5 262 manuscritos gregos (língua original). Desses, 81 são anteriores ao século IV. Ainda que tenham sido encontrados em lugares afastados entre si, apresentam uma enorme coincidência no conteúdo, de modo que se garante a sua fidelidade com o original. Relativamente às traduções, conservam-se cerca de 40 000 manuscritos em diversas línguas. Estas traduções avalizam também que o texto actual coincide com o original.

4. Que manuscritos são mais importantes? Podemos citar os seguintes:

  • Papiros Bodmer. - Dos inícios do século III. Um deles contém os evangelhos de São Lucas e São João e é conservado no Vaticano. Outro com o evangelho de São João está em Genebra.
  • Papiros Chester Beatty. - Dos inícios do III. Contêm os quatro evangelhos e outros textos do Novo Testamento. Estão em Princeton.
  • O Codex Vaticanus. - Do século IV. Contém a Bíblia inteira. Está no Vaticano.
B. OS EVANGEHIOS, TEXTOS HISTÓRICOS

1. Os evangelhos são textos históricos? Não são livros de história, mas sim textos históricos. Os seus autores narram factos que realmente aconteceram, mas não pretende fazer um tratado.

2. Quem escreveu os evangelhos? Os autores dos evangelhos são bem conhecidos. Foram - com a ajuda divina - São Lucas, discípulo de São Paulo; São Marcos, discípulo de São Pedro; São Mateus e São João que eram dois dos Apóstolos. Assim são citados por todos os documentos.

3. Quando se escreveram? São João redigiu entre os anos 98 e 100. Os outros três evangelhos foram escritos antes do ano 70. Por exemplo, mencionam, como actuais, costumes e instituições israelitas que a destruição de Jerusalém no ano 70 mudou completamente.

4. Algumas razões que avalizam os evangelhos como históricos? Podemos comentá-las em dois grupos:
Motivos internos (do próprio texto).-

  • O estilo é realista, não é fantasioso nem romanceado. Nota-se que os autores conheciam bem os acontecimentos.
  • Narram feitos que um cristão ocultaria. Por exemplo, as negações de Pedro, a cobardia e falta de fé dos Apóstolos, o temor de Jesus no Horto das Oliveiras, a traição de Judas, escolhido por Cristo. Se se escrevem estes acontecimentos é simplesmente porque assim aconteceram.
  • Narram os milagres sem adorno algum: simplesmente os factos. Se os autores desejassem fazer fantasia, dedicariam muitas páginas a cada milagre.
Motivos externos.-
  • Quando se escreveram os evangelhos, ainda viviam muitos dos protagonistas da história e aprovaram os textos.
  • Há outros livros que narram factos sobre Jesus que não foram aceites como reais e a que se chamou apócrifos.
  • Os autores dos evangelhos morreram mártires defendendo a fé em Cristo. Isto quer dizer que estavam seguros de que presenciaram e escreveram factos reais.
  • Ao longo dos séculos, houve várias heresias contrárias à fé católica, algumas com verdadeiro ódio em relação ao Papa. Todas essas novas religiões aceitaram os evangelhos como históricos, ainda que algum os interpretem à sua maneira.
5. Os evangelhos narram todos os feitos de Jesus? São João adverte-nos que é impossível escrever todos os detalhes. Mas os evangelistas, com a ajuda divina, puseram o maior cuidado em contar com exactidão o que sucedeu (assim o adverte São Lucas). Queriam deixar-nos um testemunho, o mais fiel possível da realidade, sobre a vida de Cristo.

6. Os evangelhos ocultam algo importante? Não era possível, pois Jesus Cristo era uma pessoa pública, continuamente assediado pelos chefes judeus que procuravam encontrar uma falha para ter algo com que acusá-Lo. Mas Jesus é Deus e fez tudo bem, de modo que tudo se podia contar e isso era o que queriam os cristãos.

id