id Os ideais: ideias rápidas sobre os ideais. Em que se diferenciam os ideias do amor? O que é preferível: ideias ou comodidades? Qual é o maior ideal? Que ideais escolher?
IDEAIS
  • A. Os ideais e os seus tipos.
  • B. O maior dos ideais.
  • C. Que ideais escolher?
A. OS IDEAIS E OS SEUS TIPOS

1. O que é um ideal? Um ideal é uma meta, um fim. Um ideal é um bem tão desejado por uma pessoa que para ele orienta toda a sua vida ou uma boa parte dela. Por exemplo: um refresco pode ser um bem por vezes muito desejado, mas não tem categoria suficiente para ser um ideal e ninguém dedica meses da sua vida para o conseguir. No entanto, montar uma empresa de refrescos já se pode incluir entre os ideais de alguém.

2. Há diferença entre amores e ideais? Não importa confundir amores e ideais, mas falando com precisão são algo diferentes:

  • Um amor é um desejo; um ideal é o que de deseja.
  • El amor é desejo que sempre está no interior de quem ama; el ideal geralmente é algo exterior.
  • El amor é afã que já se possui; o ideal ainda não.
  • Quem ama pode desejar vários bens pequenos e grandes. Quem tem um ideal aspira a um bem grande.
3. Tipos de ideais? Dependendo do ponto de vista, há vários modos de agrupar os ideais:
  • Os ideais são bens e podem ordenar-se de vários modos. Por exemplo: ideais materiais e espirituais; ideais efémeros e duradouros; ideais profissionais, sociais, familiares, desportivos, culturais, afetivos, etc.
  • Os ideais são bens desejados e podem ordenar-se pelo modo de desejá-los. Assim se fala de ideais instintivos e ideias meta. Mas esta classificação é mais própria do amor (amor-sentimento e amor-caridade), pois o modo de desejar o é mais o modo de amar.
  • Esses bens desejam-se para alguém, desta forma os ideais podem-se classificar segundo o destinatário e assim surge uma classificação simples de três tipos: ideais do amor próprio, ideais de serviço e amor aos outros e ideais de serviço de serviço e amor a Deus.
4. É bom ter ideais? Os ideais são convenientes para dar à vida o sentido animador de procurar metas valiosas. Um ideal é um bem que ainda não se possui mas que se deseja. Não é pouca coisa este desejo: é um primeiro passo para o caminho. Sem ilusões a vida pode ser mais cómoda, mas menos atraente. Se não há ideais, é sinal que não há amor e uma vida sem amor é uma vida menos feliz.

5. Qualquer ideal é bom? Pode haver tantos ideais como bens, pois qualquer bem pode ser muito desejado pelo coração humano. No entanto, não é bom tomar por ideal aqueles bens que criam obstáculos a conseguir bens melhores. Por exemplo, levar uma vida cómoda é um bem que coloca travão a muitas metas de maior categoria. Possuem ideais melhores aqueles que aspiram a bens mais elevados.

6. Não é melhor deixar-se de ideais e seguir comodamente as massas? Se um ideal merece a pena pela sua grandeza, os corações nobres e generosos lançam-se por consegui-los mesmo que custe. Só os peixes mortos se deixam levar pela corrente da comodidade.

7. E se o ideal não se atinge? Tornar realidade um ideal exige um esforço constante mais ou menos prolongado. Se não se alcança, pelo menos tentou-se e esse esforço terá ampliado a generosidade do coração.

B. O MAIOR DOS IDEAIS

1. Quais os ideais mais elevados? Têm ideais mais elevados aqueles que dirigem as suas ações para bens superiores. Os melhores bens são os maiores ideais.

  • Os ideais egoístas que apenas satisfazem gostos e caprichos enfraquecem o coração e não merecem ser chamados de ideais.
  • Entre as metas de amor a si mesmo e aos outros, são melhores as que contribuem para os bens da alma (própria ou alheia).
  • Os ideais mais altos referem-se a Deus. Por exemplo, é uma gozosa dignidade contribuir para o serviço e glória do Criador.
2. Qual é o maior ideal possível? O maior ideal é o maior bem. Possui o maior ideal aquele que deseja o maior bem possível. Portanto, sendo o maior ideal Deus, quem procura o Senhor possui o melhor dos ideais. Com mais precisão, a meta não é procurá-lo, mas sim encontra-Lo, agarrá-Lo, unir-se a Ele. A meta é o próprio Deus.

3. Outros modos de expressar o maior ideal? Deus é o maior dos bens e portanto o ideal maior, o ideal que reclama ser desejado acima de todas as coisas. Mas há vários modos de expressar este mesmo ideal. Por exemplo:

  • Imitar Deus; unir-se ao Senhor; o céu. – O ideal continua a ser Deus, só que agora se expressa no que alcança ao chegar a Ele.
  • Conhecer e amar o Senhor. - É o modo de unir-se a um ser espiritual. O ideal continua a ser Deus.
  • Servir o Senhor, dar-Lhe glória. - É o modo de amá-Lo.
  • Santidade. - Equivale a imitar Deus, unir-se ao Senhor, amar a Deus, etc.

4. Outros pontos de vista? O ideal maior muda de formulação e se clarifica se atendemos ao destinatário do bem desejado:

  • A procura do maior bem para si mesmo, o ideal máximo, é Deus, como acabámos de dizer.
  • O maior ideal de quem procura o bem para os outros é o apostolado, onde se procura que os outros se aproximem do Senhor.
  • O maior ideal de quem procura o bem para Deus é dar-Lhe glória.
Resumindo, o maior dos ideais é dar glória a Deus crescendo em santidade e realizando um abundante trabalho apostólico.

5. Quem não ama a Deus pode ter ideais? O ateu pode e deve ter ideais, mas corre maior perigo de tornar-se egoísta, pretendendo unicamente comodidade, o êxito o diversos prazeres sem qualquer orientação. Por exemplo, o serviço aos outros pode fazer-se com intenção de autopromover-se ou obter reconhecimento; por seu lado, quem ama o Senhor é mais simples e dirige esse louvor para a Sua glória. O amor e serviço de Deus é libertador da escravidão do próprio eu.

6. Exemplo de ideais que sirvam aos ateus? O desejo de adquirir qualidades é sempre bom, também para os ateus, pois é melhor colecionar qualidades a defeitos. Ao fim e ao cabo, ou se alcança uma qualidade ou o vício correspondente. Ou se é amável trabalhador e serviçal ou não se é. E perante a escolha, escolhamos o bem.

C. QUE IDEAIS ELECOLHER?
(Não se concretizará muito pois tal depende de cada um)

1. Possibilidades? Ao pensar em metas para a própria vida colocam-se três caminhos:

  • Recusar qualquer projeto para conservar uma vida cómoda.
  • Conformar-se com opções pequenas, que exigem pouco esforço.
  • Aspirar a metas elevadas.

2. Entre estas possibilidades, qual escolher? Por um lado, a comodidade e o conformismo medíocre empobrecem o coração e retiram-lhe capacidade de amor e felicidade. Por outro lodo, as grandes metas apresentam-se custosas… Provavelmente o melhor seja combinar os três caminhos: possuir algum de categoria, que proporcione ilusão e impulsione, ao mesmo tempo que se lhe acrescentam metas modestas para cada dia. Além disso, haverá aspetos que se procuram alcançar mais tranquilamente, pois seria loucura tentá-los todos de uma vez.

3. Um exemplo? Por exemplo, uma pessoa pode ter como grande ideal da sua vida o serviço a Deus e ao próximo. Esta grande meta pode ir acompanhada do propósito modesto de cumprir um horário onde haja tempo para o Senhor e para os outros. E, por sua vez, deixa de lado a sua intenção de aprender japonês, pois este ideal pode espera um momento.

4. Convém ter muitas metas? Convém ter alguns projetos, mas não é possível tentar todos de uma vez devido à escassez de tempo e e porque algumas metas são incompatíveis. Por exemplo, a decisão de estudar facilita uma aspiração profissional e por sua vez dificulta que se seja o rei da diversão.

5. Algum conselho sobre quais os ideais a escolher? A resposta deve ser individual, mas podem dar-se alguns conselhos:

  • Estar prevenidos face à mediocridade e não autolimitar-se.
  • Não somos vacas. Somos homens, quer dizer, seres materiais e espirituais. Necessitamos de dispor de ideais altos que levantem a nossa alma do pó do caminho. A dignidade humana necessita de planos espirituais e metas elevadas.
6. Exemplos de ideais vãos? Comer, beber e estar deleitado.

7. Como exercitar a procura de metas? Os ideais adquirem-se na medida que se conhecem os bens e se veem como convenientes. Para isto pode ajudar:

  • Melhorar a própria formação em temas valiosos. Por exemplo, assistindo a conferências que falem de assuntos interessantes e atrativos, capazes de criar ilusão.
  • A reflexão sobre os projetos que uma pessoa tem ou sobre as qualidades que deseja adquirir.
8. Como levar os outros a ter ideais? Uns exemplos de motivações podem ser:
  • Relatar ou convidar a ler vidas heroicas e exemplares.
  • O aplauso àqueles que se colocam metas, ainda que sejam modestas.
  • Propor projetos.
  • Evitar as críticas àqueles que fazem algo bem, para não impedir as suas aspirações.
id